Prefeitura marechal
busque por título

Polícia

Agência Alagoas

07/07/2020 às 18:15

Governador anuncia criação de duas delegacias especializadas

Iniciativas vão atender população mais vulnerável e reforçar o combate à corrupção e aos chamados crimes de colarinho branco 

(Créditos de imagem: Thiago Sampaio )

Mais reforço para a segurança pública em Alagoas. Em entrevista a uma radio local na manhã desta terça-feira (07), o governador Renan Filho anunciou a criação de duas novas delegacias especializadas no estado – uma para combater crimes contra populações vulneráveis e outra para investigar crimes de corrupção.

“Eu vou enviar duas leis para a Assembleia Legislativa”, adiantou Renan. “Essa que vai coibir o crime contra as pessoas que têm mais dificuldade de se defender e também outra delegacia que vai combater crimes relacionados ao colarinho branco e à corrupção em Alagoas”, explicou.

A iniciativa para criação de uma delegacia que atendesse aos mais vulneráveis partiu do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL). A instituição formulou o projeto em conjunto com o Sistema de Justiça e a sociedade civil, incluindo a participação de organizações que representam os mais diversos públicos em vulnerabilidade e da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL). A causa também conta com o apoio do Ministério Público de Alagoas e da Defensoria Pública do Estado.

De acordo com a proposta, a delegacia terá competência para investigar crimes contra idosos, adeptos de religiões de matriz africana, pessoas com deficiência, quilombolas, população em situação de rua, negros, ciganos, índios, lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros, entre outros.

Já a ideia para criação da delegacia de combate à corrupção e aos chamados crimes de colarinho branco partiu do próprio Governo do Estado.

Para Renan Filho, a resolução é mais um exemplo de modernização na estrutura da segurança pública de Alagoas e do fortalecimento do combate a todo tipo de crime. O chefe do Executivo estima que ambas as leis sejam votadas logo após a volta do recesso da Assembleia Legislativa. 

Deixe seu comentário

0 comentários